Bolsa Merenda não será prorrogado pelo Governo de Minas, mesmo sem retomada de aulas

Apesar de a retomada das aulas presenciais estar suspensa na rede estadual de ensino em Minas por medida judicial, o estado não vai prorrogar o pagamento do Bolsa Merenda, no valor de R$ 50.

As parcelas de agosto e setembro, por causa de um atraso, foram pagas juntamente no mês passado. De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), o mês passado foi o último, e não haverá mais pagamento, mesmo com os estudantes estando em casa.

Algumas mães reclamaram por não receberem o auxílio em outubro. Elas acreditavam que se tratava de outro atraso, já que as aulas ainda não foram retomadas.

Em relação ao pagamento do mês de setembro, que era para ser feito no mês passado, a Sedese informou que avalia de forma individual todas as situações relatadas pelos cidadãos. Para isso, é necessário que seja enviado para o endereço de e-mail – [email protected] – o nome completo, o número do CPF e o Número de Identificação Social (NIS) do responsável e das crianças, além do nome da escola, do turno, o ciclo e a série dos alunos, para que seja feita a checagem.

Se for constatado algum problema na execução do pagamento, de acordo com a secretaria, o beneficiário receberá as parcelas restantes normalmente. Ainda segundo a Sedese, o Bolsa merenda foi lançado em abril, com previsão de duração de quatro meses e ampliado por mais dois meses: agosto e setembro e não haverá mais pagamento nos meses posteriores, ou seja, já não se paga o benefício em outubro.

No primeiro momento, o benefício foi pago a estudantes da rede estadual abaixo da linha de pobreza, com renda por pessoa da família inferior a R$ 89, e depois para alunos na linha de pobreza com renda de até R$ 179 por integrante do núcleo familiar.

Publicidade

Previous
Next