fbpx
sexta-feira, 14 de junho de 2024

Contato

Esposa de ex-delegado morto diz temer que assassino fuja da cadeia e continue ‘vingança sanguinária’

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

A esposa do delegado aposentado Hudson Maldonado Gama, de 86 anos, morto na última quarta-feira (22) em Sete Lagoas, na região Central de Minas Gerais, relatou o clima de medo e insegurança vivido pela família cinco dias após o crime. Bruna Santana declarou à rádio Itatiaia que, mesmo após a prisão do suspeito, o ex-policial civil Rodrigo César Costa Barbosa, a família continua receosa.

“Eu não estou sossegada, não estou tranquila. Meu marido não fez nada, não deve nada a ele (Rodrigo). Se ele foi expulso da corporação, foi por corrupção e erro dele. Meu marido não tem nada a ver com isso. Se esse monstro teve a capacidade de cultivar um ódio injusto e fazer isso com o meu marido, eu não tenho dúvidas de que ele possa fugir da cadeia e continuar essa vingança sanguinária. Esse homem é um monstro. Então, eu não estou tranquila, meu filho não está tranquilo, minha família não está tranquila. Eu me sinto temerosa pela minha segurança e pela segurança do meu filho”, afirmou Bruna.

Rodrigo foi preso na última sexta-feira (24) após se entregar na Delegacia de Homicídios de Sete Lagoas. Segundo a Polícia Civil, Hudson denunciou Rodrigo à Corregedoria da Polícia Civil por corrupção há 18 anos, resultando na expulsão de Rodrigo da corporação recentemente.

“Meu marido era advogado criminalista e tinha uma cliente que era extorquida por esse policial, que já tinha várias denúncias de corrupção contra ele. A cliente procurou meu marido como advogado e ele tomou as providências cabíveis. Foi aberto um processo administrativo disciplinar e Rodrigo foi excluído. Justo. Ele estava errado e era corrupto mesmo”, explicou Bruna.

Bruna acredita que, após esgotar todos os recursos judiciais, Rodrigo começou a planejar a vingança contra Hudson. “Ele começou o plano de vingança, uma vingança injusta e cruel. Não foi meu marido que o excluiu, foram suas próprias atitudes corruptas. Meu marido agiu como advogado”, lamentou.

Além de lidar com a perda do marido, Bruna agora enfrenta a destruição de sua casa, que foi incendiada durante o crime. “Bens materiais a gente trabalha e reconstrói. O pior foi que ele destruiu minha vida, meu coração. Eu estava com o Hudson há 19 anos. Ele acabou com minha vida, me deixou sem chão”, disse Bruna.

A família de Hudson, incluindo seus nove filhos e a ex-mulher, também sofre profundamente com a perda. “Ele deixou nove filhos arrasados, a ex-mulher dele, que é uma pessoa bacana e com quem criou os filhos, está acamada e arrasada, os netos, os irmãos. Ele destruiu uma família inteira de forma cruel e injusta. O Hudson era um homem digno, correto e íntegro. Ele se dedicou a vida toda ao trabalho e à família. Ele não merecia ter morrido dessa forma”, lamentou Bruna.

Ainda buscando respostas, Bruna quer saber exatamente como o crime ocorreu, já que ainda não está claro se Hudson levou uma facada antes de ser queimado. “A resposta não vai trazer o Hudson de volta, mas queremos saber o que realmente aconteceu. É um direito dos familiares e meu como esposa”.

Fonte: Itatiaia.

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.