Untitled Document
megamenu.js | Last responsive megamenu you'll ever need
jQuery Devrama Slider Demo
Aplicativo desenvolvido por matozinhense promete solucionar baixo estoque de sangue em hemocentros
Aplicativo desenvolvido por matozinhense promete solucionar baixo estoque de sangue em hemocentros
Da Redação
Por Dentro de Tudo
Publicada 26/11/2019

Doação de sangue e tecnologia, uma união que pode salvar vidas. E foi com esse intuito que um professor de tecnologia da informação e um ex-aluno criaram um aplicativo que conecta doadores a pacientes que precisam de doação. No Dia Nacional do Doador de Sangue, a plataforma comemora mais de 10 mil downloads, enquanto o Hemominas sofre com o estoque de sangue em estado crítico.

No início da tarde desta segunda-feira, a Fundação Hemominas registrava estado crítico dos tipos sanguíneos A- e O-. O estado mais preocupante é o de pacientes que necessitam do tipo O, que só podem receber doações de pessoas com o mesmo tipo de sangue. O estoque de O+ e B- registram ainda estado de alerta. 

Na busca de tentar melhorar esse cenário, os mineiros Orlando Silva, que é morador de Matozinhos, e seu ex-aluno Thiago Rodrigues utilizaram a tecnologia a serviço da doação de sangue. “Sempre quis ajudar a salvar vidas com a tecnologia. Queria usar meu conhecimento para o bem. Vendo os constantes problemas nos bancos de sangue, tive essa ideia”, contou Orlando.

Foi assim que nasceu a #PartiuDoarSangue. A plataforma foi lançada em 2016 e desde então passa por atualizações para funcionar em todos os estados do Brasil. Após o download, o usuário cadastra um pedido de doação – colocando tipo sanguíneo que precisa e onde podem ser feitas as doações – e o sistema automaticamente avisa aos doadores cadastrados na região. “O app atende pessoas do Brasil todo, não só de Minas. Temos parceria com alguns bancos de sangue para doações diretas, mas temos planos de buscar novos parceiros para aumentar ainda mais o nosso alcance”, explicou o professor.

O aplicativo também ajuda a gerenciar a vida do doador, respeitando o intervalo de três meses após uma doação. Após dois anos de funcionamento, a plataforma agora busca por parcerias com bancos de sangue em todo o Brasil. Todo o serviço é gratuito.

Retorno do bem

O professor, natural de Matozinhos, comemora os frutos do trabalho com o aluno, de Sete Lagoas. “A gente está em um momento bom. Temos tido feedbacks muito positivos, de pessoas que conseguiram doadores pelo app. É muito bom saber que está ajudando a salvar vidas”, comemorou.

“Coincidentemente, o tio do Thiago precisou de sangue após sofrer um acidente e ficar com 80% do corpo queimado. Graças a Deus a gente já tinha o app pronto e conseguimos captar muitas doações”, disse Orlando.

O pedido dos criadores é que as pessoas se cadastrem. A plataforma avalia que com os registros no app, mais de 16 mil pacientes foram atendidos, pois cada doação pode ajudar cerca de quatro pessoas. “O mais importante é que as pessoas se cadastrem para a gente conseguir ajudar todo mundo.”

Como utilizar o app

A plataforma é interativa e tem informações tanto para quem quer doar sangue quanto para quem precisa de auxílio. O acesso está disponível nas plataformas Android e iOS para smartphones como aplicativo de forma gratuita. Basta acessar as lojas on-line e fazer o download. Além disso, pode ser acessado pelo site www.partiudoarsangue.com.br.

Como doar?

Os requisitos básicos para doar sangue são: estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 60 quilos, apresentar documentos originais com fotos no local e estar com boa frequência cardíaca.

A Fundação Hemominas realiza transfusão de sangue em diversas cidades do estado. Para mais informações, ligue 155 opção 1, ou acesse o site www.hemominas.mg.gov.br.

Fonte: EM.

 

 Documento sem título
Comentários