fbpx
sexta-feira, 14 de junho de 2024

Contato

Inteligência artificial desenvolvida no Brasil rastreia risco de câncer de mama a partir de exame de sangue

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

Pesquisadores brasileiros descobriram que a inteligência artificial (IA) pode rastrear o aumento do risco de câncer de mama através da análise de exames de sangue. O estudo, conduzido pela startup Huna em parceria com o Grupo Fleury e pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), foi publicado na revista Scientific Reports.

Metodologia do estudo

Os pesquisadores analisaram dados de hemogramas realizados ao longo dos últimos 20 anos de quase 400 mil mulheres, com idades entre 40 e 70 anos, de oito estados brasileiros. Ao todo, foram examinados 396.848 exames de sangue. Os hemogramas foram rotulados com base em resultados de biópsias e exames de imagem da mama, como mamografia e ultrassonografia mamária.

Resultados promissores

A estratégia de análise utilizada pela IA conseguiu identificar o grupo de pacientes com mais chances de desenvolver câncer de mama. O oncologista Pedro Henrique Araújo, diretor médico da Huna, destacou a importância da detecção precoce: “Diagnosticar o câncer precocemente tem um impacto direto nas taxas de sobrevivência dos pacientes, possibilitando tratamentos menos invasivos e menos dispendiosos para o sistema de saúde”.

Impacto na saúde pública

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no Brasil, com previsão de mais de 73 mil novos casos em 2024, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Pedro Ribeiro, oncologista do Grupo Oncoclínicas BH, ressaltou a importância do diagnóstico precoce: “A taxa de cura pode passar de 90% quando o câncer é detectado em estágios iniciais”.

Daniella Castro Araújo, cofundadora da Huna, afirmou que a descoberta pode priorizar mulheres com maior risco, otimizando a fila para mamografias, um exame crucial ao qual quase 60% das brasileiras atualmente não têm acesso. “Essa abordagem é promissora porque não implica custos adicionais para o setor, baseando-se na otimização de exames já realizados rotineiramente”, explicou o Dr. Bruno Aragão Rocha, coordenador médico de Inovação do Grupo Fleury.

Economia e eficiência

Além de contribuir para o diagnóstico precoce, a tecnologia pode gerar economias significativas para o sistema de saúde. Ao otimizar o uso de exames rotineiros, a relação custo-efetividade torna-se favorável, beneficiando pacientes e o sistema de saúde como um todo.

A utilização de IA para análise de hemogramas representa um avanço significativo na luta contra o câncer de mama. Com a detecção precoce, aumentam-se as chances de cura e se reduz o impacto financeiro no sistema de saúde. O estudo realizado pelos pesquisadores brasileiros demonstra o potencial transformador da tecnologia na medicina preventiva e no tratamento oncológico.

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.