fbpx
domingo, 14 de julho de 2024

Contato

Partes de um dos primeiros cruzeiros de Matozinhos serão expostas no Museu Histórico Ojú Aiyê

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

Partes de um dos primeiros cruzeiros de Matozinhos foram encontradas e estarão em exposição no Museu Histórico Ojú Aiyê de Matozinhos (MHOA). O Bairro Cruzeiro recebeu este nome devido à presença de um grande cruzeiro de madeira com símbolos da crucificação de Cristo, uma tradição comum nos séculos XVIII e XIX no Brasil.

Segundo Walice Carvalho, pesquisador e curador do MHOA, um dos fatos curiosos deste cruzeiro é a tradição em que as mulheres, durante períodos de seca em Matozinhos, levavam tinas de água sob a cabeça e despejavam ao pé da cruz. Relatos orais indicam que essa prática era eficaz, pois sempre chovia após o ritual, um costume praticado há mais de 100 anos no Bairro Cruzeiro.

Foram encontradas cinco partes esculpidas em madeira do cruzeiro. Até o momento, dois símbolos foram identificados: uma bolsa de moedas, simbolizando a traição de Judas Iscariotes, e parte de uma lança, que representa a passagem bíblica onde um soldado perfura o lado de Jesus, de onde imediatamente brotam sangue e água. Os outros três símbolos estão em fase de pesquisa e catalogação e serão inventariados como parte do patrimônio histórico da cidade.

“A importância desses objetos é incalculável para o processo de resgate e preservação dos costumes que contribuíram na construção da identidade de Matozinhos. Mais do que objetos centenários, esses símbolos são sinais da fé e nos trazem informações de como a comunidade se relacionava com o cruzeiro, como ponto de sociabilização e coletividade, além do mistério das chuvas após as tinas de água e as rezas ao pé dessa cruz”, afirmou Walice Carvalho.

As peças estarão em exposição permanente no Museu Histórico Ojú Aiyê e a população poderá visitá-las para conhecer mais detalhes sobre a história do Bairro Cruzeiro, um dos primeiros de Matozinhos.

O Museu Histórico de Matozinhos solicita que moradores com informações sobre outras peças remanescentes do primeiro cruzeiro entrem em contato através do WhatsApp (31) 98697-4287 ou pelo e-mail [email protected].

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.