Polícia Civil adquire aparelho de R$ 1 milhão para detectar bebidas adulteradas

 Polícia Civil adquire aparelho de R$ 1 milhão para detectar bebidas adulteradas
Anuncie no Por Dentro de Tudo

O Instituto de Criminalística da Polícia Civil de Minas Gerais adquiriu um equipamento capaz de verificar a adulteração de bebidas. Avaliado em mais de R$ 1 milhão, o aparelho foi comprado com recursos do Fundo Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor, do Ministério Público de Minas Gerais, e já está em funcionamento.

A destinação de recursos para o analisador de bebidas foi aprovada após a contaminação da cerveja Belorizontina, da Backer, com dietilenoglicol, que deixou dez pessoas mortas.

Segundo a perita criminal da seção técnica de física e química legal do Instituto de Criminalística, Renata Fontes, durante as investigações do caso Backer, a equipe da Polícia Civil de Minas precisou ir a Brasília para usar o equipamento da corporação do Distrito Federal.

As investigações concluíram que o dietilenoglicol foi usado indevidamente e que houve vazamento do produto para as cervejas, dentro da fábrica.

O analisador de bebidas permite verificar se a embalagem da bebida está íntegra, por meio da análise da carbonatação e da pressão da rolha, ou se foi violada. Também possibilita verificar se há adulteração em bebidas alcoólicas destiladas ou fermentadas e não alcoólicas gaseificadas.


error: Conteúdo bloqueado para cópia !!