fbpx
sexta-feira, 14 de junho de 2024

Contato

Professores da UFMG decidem pela continuidade da greve: “A luta continua”

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

A greve dos professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) continua. A decisão foi tomada em assembleia realizada nesta quarta-feira, dia 29 de maio. O Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco (APUBH) informou em comunicado que a decisão reflete a «insatisfação com a mais recente proposta apresentada aos servidores docentes pelo governo federal».

O movimento grevista, iniciado há algumas semanas, tem como principais reivindicações melhores condições de trabalho e reajustes salariais. Segundo o APUBH, a proposta do governo federal não atendeu às expectativas da categoria, gerando descontentamento entre os docentes. “A categoria também protesta contra a decisão governista, tomada unilateralmente, de encerrar as negociações. Estamos em um momento, portanto, para fortalecer o nosso movimento”, afirma um trecho do comunicado do sindicato.

A insatisfação com a resposta do governo levou à convocação do Dia Nacional de Luta pela Educação Federal, marcado para a próxima terça-feira, 3 de junho. Neste dia, professores e servidores de diversas universidades federais do país devem realizar manifestações e ações de protesto para chamar a atenção para suas reivindicações.

Além disso, uma grande manifestação está sendo organizada para a próxima quarta-feira, 4 de junho. “Mobilizações também serão realizadas nos locais de trabalho dos servidores. A categoria docente da UFMG está construindo as ações a serem realizadas na universidade”, informou o APUBH. As atividades incluirão assembleias, debates e atos públicos em diversos campi da universidade.

A continuidade da greve se dá em um contexto de negociações difíceis entre o governo e os docentes. Um novo encontro da bancada sindical com a representação governista está marcado para acontecer nos próximos dias, mas os professores afirmam que permanecerão em greve até que uma proposta satisfatória seja apresentada.

A greve na UFMG é parte de um movimento nacional que envolve diversas outras instituições federais de ensino. As ações conjuntas visam pressionar o governo a reabrir as negociações e atender às demandas dos servidores.

Enquanto isso, a comunidade acadêmica da UFMG, incluindo estudantes e funcionários, continua acompanhando de perto o desenrolar dos acontecimentos. A greve tem gerado debates sobre a situação da educação pública no Brasil e a valorização dos profissionais que atuam nas universidades federais.

A luta dos professores da UFMG continua, com a esperança de que suas reivindicações sejam atendidas e que as negociações possam avançar em direção a um acordo justo para todos.

Foto: Reprodução / APUBH

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.