sábado, 24 de fevereiro de 2024

Contato

Trio suspeito de cometer 15 assaltos em apenas três horas é preso em BH

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

Um trio de 21, 23 e 25 anos, suspeito de cometer 15 roubos seguidos em um único dia, foi preso em Belo Horizonte. Os assaltos ocorreram nos bairros Maria Virgínia, Pirajá, Maria Goretti e Goiânia, todos na região Leste da capital.

As informações foram divulgadas pela Polícia Civil nesta quarta-feira (6). Segundo a instituição, os suspeitos realizaram todos os “assaltos relâmpagos” em 1° de julho, de 19h às 22h. Com duas motos rápidas, eles abordavam as vítimas com armas e roubavam, na maioria das vezes, os celulares.

Os homens faziam paradas estratégicas em locais com câmeras para forjar álibi e trocar os garupas, o que dificultou a identificação pela polícia.

A PC apurou que os três já possuíam passagem criminal por tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e ocultação de bens, roubo e homicídio. Os homens de 21 e 23 anos, vizinhos, foram presos em flagrante próximo ao bairro Jardim Vitória. 

Nas redes sociais, o suspeito de 23 anos apareceu ostentando imagens com várias motocicletas, de diferentes marcas e modelos. Ele também é investigado, com comparsas, em outra ocorrência, apurada pela Delegacia Especializada Antissequestro (DAS), em que um caminhão roubado foi localizado também no Jardim Vitória. 

“É possível deduzir que ele atua criminalmente na região Leste da capital, oculta os bens neste bairro, onde ele mora, e envolve menores de idade no tráfico de drogas e roubos, dentre esses, possivelmente, o suspeito de 21 anos, que acabou de completar a maioridade penal”, explica a delegada Alice Batello.

Os mandados de prisão temporária e de busca e apreensão foram cumpridos em 16 e 17 de novembro. A polícia recuperou 15 celulares das vítimas e apreendeu uma das motocicletas utilizadas pelos investigados.

Ao final das investigações, o inquérito policial foi concluído com indiciamento dos suspeitos pelos crimes de roubo qualificado por concurso de pessoas, uso de arma de fogo e associação criminosa. A PCMG representou ainda pela conversão das prisões temporárias em preventivas. Os investigados seguem no sistema prisional à disposição da Justiça.

* Estagiária sob supervisão de Renato Fonseca

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.