fbpx
domingo, 14 de julho de 2024

Contato

Paciente é preso por injúria racial após ofensa homofóbica contra enfermeiro em MG

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

Um enfermeiro de 26 anos foi alvo de ataques homofóbicos no Hospital de Misericórdia de Santos Dumont, na Zona da Mata, Minas Gerais, na tarde desta quarta-feira (12). O paciente de 54 anos, suspeito das ofensas, foi preso pela Polícia Militar (PM) por injúria racial, ameaça e perturbação do trabalho.

De acordo com o depoimento do enfermeiro, ele estava em atendimento quando o paciente entrou na sala, proferindo palavras de baixo calão. Quando o enfermeiro pediu calma, o suspeito intensificou os ataques com ofensas homofóbicas, como “Bichinha. Nenhum viadinho vai me atender”. O paciente também ameaçou o enfermeiro, dizendo que era “homem o suficiente para quebrar a cara” dele. As ofensas foram confirmadas por testemunhas e pelo próprio paciente.

Um médico tentou intervir, mas o paciente ficou mais exaltado, usando uma peça de ferro da cadeira de rodas para golpear a porta do pronto-socorro. A PM foi acionada e, ao chegar, ouviu do suspeito que o atendimento estava demorando muito e que ele deveria ter prioridade por ser cadeirante. O paciente confirmou ter feito as ofensas e foi preso em flagrante.

O Hospital de Misericórdia de Santos Dumont foi contatado para comentar o caso, mas ainda não se manifestou.

Conforme o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), atos ofensivos contra pessoas da comunidade LGBTQIAPN+ são enquadrados como injúria racial. Desde janeiro de 2023, a pena para injúria racial é de 2 a 5 anos de reclusão, equiparada à de racismo.

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.