fbpx
terça-feira, 23 de julho de 2024

Contato

Vereador de São José da Lapa, policial da Bahia e advogado são presos em operação que investiga fraudes em concursos públicos

Por Dentro De Tudo:

Compartilhe

Um vereador de São José da Lapa, na Grande BH, um advogado de Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, e um policial militar da Bahia foram presos nesta quarta-feira (8) em uma operação da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) que apura fraudes em concursos públicos. Além dos mandados de prisão, 18 de busca e apreensão foram cumpridos. 

Segundo a PCMG, a empresa organizadora dos certames, com sede na Bahia, é suspeita de facilitar a aprovação de candidatos indicados pelo poder público. Em troca, as pessoas pagavam o valor do primeiro salário. 

As investigações começaram em junho deste ano, quando a polícia recebeu a informação de que um concurso do município de Piedade de Caratinga, realizado pelo Instituto de Educação e Saúde Pública (Iesp), seria fraudado. Os policiais entraram em contato com a prefeitura e avisaram que iriam fiscalizar as provas e digitalizar os gabaritos. 

“Normalmente, essas fraudes em concursos públicos acontecem com a troca do gabarito: a pessoa vai fazer a prova e marca qualquer resposta, sabendo que, posteriormente, a banca troca o gabarito dela de forma que ela seja aprovada. […] Eles mudaram a fraude quando souberam que a gente ia estar presente, e os candidatos receberam a prova e o gabarito antecipadamente ao dia do concurso”, explicou o delegado regional de Caratinga, Ivan Sales.

Em uma primeira fase da investigação, a polícia descobriu candidatos que tiraram a mesma nota errando a mesma questão, no concurso de Piedade de Caratinga. 

No entanto, a PCMG acredita na possibilidade de fraude em certames realizados também em outros municípios mineiros. 

“A investigação foi caminhando e tomou uma proporção muito maior. […] A gente percebe que esse instituto realizou vários concursos em Minas Gerais em um curto espaço de tempo, o que aponta indícios de que pode ter havido fraudes”, afirmou o delegado.

Retornos

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Piedade de Caratinga, com o Iesp e com a assessoria do vereador de São José da Lapa, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem. 

Em nota, a Câmara Municipal de São José da Lapa afirmou que “em gestão alguma celebrou qualquer tipo de contrato com a empresa investigada” e que “se coloca à disposição para todos os esclarecimentos necessários”.

Fonte: Globo Minas. Foto: Polícia Civil/ Divulgação

Encontre uma reportagem

Aprimoramos sua experiência de navegação em nosso site por meio do uso de cookies e outras tecnologias, em conformidade com a Política de Privacidade.