Untitled Document
Buscas
jQuery Devrama Slider Demo
Reajuste das taxas de cemitério e limpeza de fossas assusta moradores de Matozinhos
Reajuste das taxas de cemitério e limpeza de fossas assusta moradores de Matozinhos
Outros serviços também tiveram os preços reajustados. Confira a tabela na matéria
Por Ronaldo Araújo
Repórter
Publicado 10/01/2018

Não é só o gás de cozinha e o combustível que aumentou no início de 2018. Em Matozinhos, a tabela de preços públicos também foi reajustada através de Decreto. Os serviços relacionados aos cemitério e, também, a limpeza de fossas tiveram aumentos consideráveis.

Entre os serviços que tiveram os preços reajustados estão: sepultamentos, aquisição de jazigo pertétuo e temporário, sepultura germinada, limpeza de fossas (de R$ 12,67 para R$ 50), certidões em geral, alvarás, entre outros (Clique aqui para ver a tabela com os novos valores).

O Decreto foi assinado pelo Prefeito Municipal, Antônio Divino, no final de Dezembro de 2017, com base nos artigos 73, VI e 99, I, da Lei Orgânica Municipal.

Sem condições de pagar

Para Graziele Martins, moradora da Rua Nossa Senhora Aparecida, próximo a Sauna do Pedro, no bairro Estação, o reajuste foi muito alto para a limpeza de fossa. “Um absurdo. Em 2017 pagávamos R$ 12,67 e agora passou a cobrar R$ 50 (foto ao lado). A minha fossa é pequena e precisa ser esvaziada a cada 15 dias. Não temos condições de pagar R$ 100 todo mês pelo seviço. Não temos esgoto e, infelizmente, vai transbordar”, disse.

Nas redes sociais, vários moradores também criticaram o aumento na cobrança dos serviços públicos. Alguns, chegaram a brincar com a situação. “O jeito agora é não morrer, pois até para isso o preço está um absurdo”, postou um internauta.

Resposta

A Prefeitura de Matozinhos informou que o reajuste da tabela de preços públicos foi uma atualização dos valores, de acordo com as despesas com a execução dos serviços. O preço público é determinado pelo valor da despesa do município com os serviços, e há 4 anos o aumento destes custos não era repassado à população.

Reportagem: Ronaldo Araújo.

 

 Documento sem título
Comentários